Como são definidas as taxas de juros do crédito rural?

 em Crédito Rural

Assim como nas grandes metrópoles, os produtores rurais têm o risco de adquirir juros durante seu percurso de trabalho. Esses são conhecidos como juros do crédito rural, que também contemplam suas vantagens financeiras. Além do mais, ocorre que os principais bancos do Brasil agem como integradores na hora do produtor investir o crédito em sua lavoura.

Também há o envolvimento de cooperativas, empresas e trabalhadores registrados como pessoa física por meio de um grande plano, conhecido como Plano Safra. Porém, antes é preciso saber: de que forma essas pessoas podem aderir a esse tipo de crédito?

Além de mostrar como essas vantagens podem ser adquiridas e responder a essa pergunta, o texto também tem o objetivo de mostrar ao trabalhador do campo como funcionam as modalidades de crédito e suas condições de juros de acordo com os ganhos, modo de viver e qual será o destino desse crédito. Confira!

Afinal, o que é o crédito rural e quais suas vantagens?

Antes de entender as vantagens de um crédito rural, é necessário saber o que é propriamente esse tipo de serviço. Trata-se de uma maneira de você encontrar uma forma de financiar e realizar empréstimos com a ajuda de órgãos públicos que contribuem diretamente para os produtores rurais.

Os recursos disponibilizados para esses trabalhadores são estabelecidos de acordo com o Sistema Nacional de Crédito Rural (SNCR), sistema esse que conta com a colaboração de bancos e agentes integradores, como o BNDES, que atua com todo desenvolvimento econômico do país sendo um importante vínculo ao SNCR.

Outro fator importante para o desenrolar o custeio e a comercialização dos produtores é o Plano de Safra. Contemplando um período anual, o plano é dependente de questões orçamentárias do governo. Segue a lista exemplificando alguns dos direcionamentos de origem desse capital:

  • começando com a poupança rural, que apresenta 40,7% dos lucros;
  • recursos obrigatórios — 36,4%;
  • o BNDES com 10,2%.

Poderiam ser citados outros exemplos, mas com base nessas informações é possível ter uma ideia de como funcionam esses investimentos iniciais. Vale ressaltar que o Banco do Brasil é um dos maiores investidores, com 60,5% de participação, ao repassar os recursos do crédito rural que são direcionados para os produtores rurais, empresas e cooperativas.

Quanto as vantagens desse tipo de crédito, o trabalhador rural tem a chance de investir de forma que possa comprar seus equipamentos e até mesmo expandir seu próprio negócio. Com base nisso, existem alguns benefícios financeiros que merecem ser citados:

  • taxas de juros reduzidas;
  • modalidades destinadas a cada finalidade;
  • facilidade nos prazos de pagamento;
  • valores que se enquadram na necessidade do produtor rural;
  • produções que podem ser expandidas.

Além disso, há um incentivo para que os trabalhadores rurais façam uso de tecnologias e modernizem seus processos no campo, seguido de uma facilidade na hora de vender seus produtos agropecuários e também estimular o investimento rural, incluindo o armazenamento e industrialização de alimentos agrícolas.

Como funcionam as modalidades de crédito rural?

Existem ainda as chamadas modalidades de crédito rural, que oferecem melhores condições de juros, nas quais são consideradas a condição do produtor rural e a finalidade de seu crédito. Um programa que contribui para os produtores rurais é o Pronaf, pois fomenta uma geração de rendas e melhora a mão de obra do trabalhador e sua família.

O Pronaf ainda pode ser dividido em subdivisões que atendem às expectativas de cada produtor, como o de custeio que abrange as áreas de pecuária e agrícola. Já o sistema de investimento se encontra subdividido em outros programas que atingem diversos núcleos. O mesmo pode ser classificado por três grupos que beneficiam diferentes tipos de produtores.

A começar pelo grupo A, que contempla agricultores familiares que fazem parte dos programas de Crédito Fundiário (PNCF) ou assentados pela Reforma Agrária (PNRA); grupo B para aqueles que pediram a Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP) e que tenham renda bruta familiar de até R$ 20 mil nos últimos 12 meses; e o grupo A/C, que atinge os beneficiários que contrataram o grupo A e não solicitaram financiamento de custeio.

Outras modalidades como a Pronamp, Funcafé, Moderfrota, Moderagro, PCA e Inovagro são conhecidas como uma outra possibilidade ao Pronaf. Esses programas podem ser descritos da seguinte forma:

  • Pronamp — permite a contratação das operações de custeio agrícola e investimento;
  • Funcafé — destinado ao custeio das produções e estocagem;
  • Moderfrota — direcionado a compra de equipamentos que beneficiam a produção de café e demais máquinas;
  • Moderagro — financia projetos que expandem a produção e modernizam o setor agropecuário;
  • PCA — Programa para Construção e Ampliação de Armazéns, que financia as cooperativas rurais para melhor desempenho dos armazéns;
  • Inovagro — trata das inovações tecnológicas nas propriedades rurais, aumentando, assim, a produtividade no campo.

Como ficam os juros de crédito rural e quais suas garantias?

Quanto a questão das taxas de crédito, cada modalidade tem seu prazo de pagamento, sendo que os juros dependem apenas da origem do empréstimo. Ocorrem também as fiscalizações desses créditos, sendo obrigatórias e diretas, mas realizadas por amostragens.

A área do agropecuarista também está sujeita a algumas cobranças que envolvem Imposto de Renda, remuneração financeira, prestação de serviços, despesas do Proagro, prêmio de seguro rural e sanções pecuniárias.

Em termos de garantia, a instituição financeira sempre ficará a cargo, porém em prévio acordo com o financiador. Dentro dessas garantias, existem as alternativas de penhoramento agrícola, alienação fiduciária, hipoteca cedular e o aval.

Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), ao qual representa os produtores rurais em geral, realizou em torno de 10 propostas para o Plano Safra dos anos 2019 e 2020. Dessas 10 sugestões de mudança, podem ser mencionadas as seguintes:

  • equalizar as taxas de juros e demais encargos financeiros de forma mais ampla;
  • dar prioridade aos recursos de crédito de custeio;
  • retorno do financiamento de assistência técnica, valendo os recursos de crédito rural oficiais.

Ao decorrer do texto, foi possível contextualizar de que forma os juros de crédito rural funcionam, bem como as taxas de financiamento e suas vantagens, além das modalidades e garantias que são fundamentais para o produtor rural desempenhar melhor seu trabalho.

Agora que você aprendeu como o crédito rural é estabelecido, que tal conhecer a nossa página e descobrir outras soluções financeiras? Não perca tempo!

Powered by Rock Convert
Postagens Recentes

Deixe um Comentário

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

melhor crédito ruralsubsídios ao crédito rural
%d blogueiros gostam disto: