Financiamento rural: conheça os fatores para levar em consideração

 em Crédito Rural

O agronegócio é uma atividade de extrema importância para a economia brasileira. Porém, ao contrário de outros setores, ele está exposto a maiores riscos e necessita do apoio do Estado para incluir os micro e pequenos agricultores no ciclo produtivo. Dessa forma, o financiamento rural foi criado para melhorar as condições de todos os envolvidos.

São diversas linhas de crédito para o produtor escolher aquela que é mais adequada à sua realidade. Para isso, é fundamental realizar um planejamento financeiro e da safra, o que permite conseguir um financiamento para aumentar a produção rural, realizar investimentos na lavoura ou melhorar a distribuição.

Destacamos a seguir algumas informações importantes sobre o crédito rural e algumas dicas para contratá-lo da melhor maneira. Continue a leitura!

Qual a importância do crédito rural para os produtores?

crédito rural foi criado em 1965 e é um instrumento de política agrícola. O seu objetivo é melhorar as condições do agronegócio brasileiro, com um financiamento a produtores, cooperativas e associações. O grande diferencial são as condições mais atrativas em comparação aos empréstimos tradicionais.

Esse mecanismo é dividido em três tipos: custeio, investimento e comercialização. Dessa forma, ele atua em todas as etapas do processo produtivo, desde a compra dos insumos para o plantio, passando pela aquisição de novos equipamentos e expansão da lavoura, até a distribuição dos alimentos.

Até fevereiro de 2019, a safra atual teve R$101,6 bilhões de crédito rural contratados, o que significou uma alta de 11% em relação ao mesmo período da safra anterior. Esses números são fundamentais para o aumento da safra, que deve ser a segunda maior de todos os tempos — 228 milhões de toneladas, segundo o IBGE.

Para os pequenos produtores, esse financiamento é ainda mais importante, já que eles podem acessar recursos para modernizar a sua lavoura. Com os seguros agrícolas, como o Proagro, eles também são capazes de permanecer na atividade mesmo em caso de perdas (chuvas fortes, pragas e outras ocorrências).

No caso das cooperativas, o acesso ao crédito rural é facilitado, pois os produtores são vistos como donos e também como usuários. Por meio delas, eles têm produtos financeiros iguais aos dos bancos (conta corrente, cartões e aplicações, entre outros) e recebem consultoria sobre a gestão das suas propriedades.

Quando obter o financiamento rural?

O ciclo do agronegócio é mais extenso do que em outras indústrias. Depois da colheita da produção, o dono da propriedade rural pode demorar meses para reaver o seu investimento. Os empréstimos são uma forma de garantir os recursos suficientes para a próxima safra e a renda dos empreendedores do campo.

O crédito rural de custeio é voltado exclusivamente para comprar os produtos e insumos necessários para a próxima safra. Ou seja, ele deve ser contratado quando você não tem capital suficiente para isso, ou se os seus resultados foram bons e você deseja aumentar a plantação.

O financiamento rural também é uma oportunidade para os produtores modernizarem a sua lavoura. Novas tecnologias na agricultura estão em desenvolvimento para aumentar a eficiência do cultivo e melhorar a relação do agronegócio com o meio ambiente. Um exemplo são os softwares, que auxiliam na gestão dos insumos e no acompanhamento das plantas.

Essas transformações permitem a criação de produtos agrícolas com maior qualidade e menor utilização de produtos químicos. O mercado consumidor do século XXI é rigoroso e está preocupado com a origem dos alimentos, ou seja, trazer soluções orgânicas pode expandir as suas operações.

É importante destacar que a entrada de capital externo na sua lavoura aumenta as responsabilidades sobre os resultados da safra. Apesar de ter condições mais favoráveis, é necessário quitar as parcelas nos meses/anos seguintes para não passar por dificuldades financeiras.

Como escolher o financiamento adequado?

Os financiamentos rurais têm algumas diferenças entre si. A principal delas é a finalidade, que é o fator determinante para escolher o tipo de crédito certo para o seu objetivo. Antes da contratação, é necessário montar um projeto que explique o uso dos recursos — não utilizar corretamente pode acarretar a perda do direito.

Por exemplo: para custear a safra, o prazo de pagamento é menor, já que esses recursos retornam em alguns meses e o produtor terá o dinheiro para quitar as parcelas. Por outro lado, reformas estruturais têm um prazo maior — o tempo para o investimento dar frutos é em longo prazo.

Como as taxas são definidas pelo Governo, as diferenças entre as instituições financeiras são pequenas. O recomendado é que o produtor procure aquele banco em que já tenha conta aberta, pois os seus dados estão cadastrados no sistema e a burocracia será menor. Porém, as cooperativas podem ser uma opção mais vantajosa.

Assim como os bancos, essas instituições também são autorizadas pelo Banco Central do Brasil (BACEN) para oferecer o crédito rural. A diferença é que todos os cooperados são tratados com a mesma importância, sem diferenciação de participação. Isso garante um atendimento exclusivo e uma consultoria para buscar as melhores opções de crédito.

Como utilizar esse recurso corretamente?

No momento da contratação do financiamento rural, o produtor tem que apresentar um projeto simplificado que explique o uso dos recursos, além de um cronograma com a devolução do valor emprestado. Uma dica é pagar o adicional e ter a cobertura do Proagro, o que é fundamental para os pequenos agricultores.

Os seguros agrícolas garantem que, em caso das perdas nas lavouras descritas pelo programa, o produtor não precise arcar com as parcelas do crédito rural, ou que tenha o dinheiro próprio investido de volta. Porém, é importante seguir as regras e apresentar todos os documentos para não perder o direito.

Com um planejamento financeiro, é possível contratar somente o valor necessário para realizar as mudanças na sua lavoura. Utilizar recursos de terceiros diminui as chances de prejuízos, mas aumenta a responsabilidade de ter bons resultados nas próximas safras para arcar com os compromissos.

A utilização correta do financiamento rural pode ser o diferencial para o produtor expandir as suas operações. Ter acesso a um crédito com baixa taxa de juros para modernizar a lavoura e aumentar a eficiência da produção é importante, mas não se deve esquecer do planejamento para utilizar os recursos de forma inteligente.

A Softfocus atua junto às cooperativas de crédito e instituições financeiras com soluções para melhorar o acesso ao crédito no Brasil. Entre em contato conosco e saiba como podemos ajudar a sua lavoura!

Powered by Rock Convert
Postagens Recentes

Deixe um Comentário

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

planejamento financeiro ruralsegurança da informação
%d blogueiros gostam disto: