Fique por dentro da política de financiamento do BNDES para 2018

 em Crédito Rural

No início de 2018, foi anunciada a nova política de financiamento do BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento). Uma das principais alterações diz respeito ao limite de faturamento das pequenas empresas que, a partir de agora, pode ser de até R$ 4,8 milhões.

Além disso, o BNDES também passa a disponibilizar o financiamento de até 100% do valor necessário para a aquisição de máquinas e equipamentos — medida que beneficia micro, pequenas e médias empresas. Outro ajuste importante foi a inclusão da Taxa de Longo Prazo (TLP), que funciona como um limite para os financiamentos.

Para você compreender melhor o que significam essas mudanças para a obtenção de crédito, as vantagens e os tipos de negócios mais beneficiados, listamos alguns tópicos que respondem as principais dúvidas. Confira!

Quais são as principais mudanças na política de financiamento do BNDES?

Os diretores do BNDES aprovaram políticas que orientam os novos financiamentos do banco. As principais mudanças afetam, principalmente:

  • MPMEs (micro, pequenas e médias empresas);
  • BNDES Giro;
  • níveis de participação;
  • TJLP (Taxa de Juros de Longo Prazo).

No que diz respeito às micro, pequenas e médias empresas, agora é possível usar uma linha de crédito específica chamada Finame. Com ela, o financiamento de máquinas e equipamentos para esses tipos de negócios poderá ser de até 100%. Já para demais aquisições, o valor subsidiado é de até 80%.

O crédito BNDES Giro, voltado a incrementar o capital de giro das empresas, também teve sua vigência prorrogada, se estendendo até 31 de dezembro de 2018. O orçamento disponível para essa modalidade é de R$ 32 bilhões e os maiores beneficiados são as médias empresas.

Os projetos de investimentos do banco serão divididos em duas modalidades: prioridade e padrão. Na primeira, o financiamento com custo em TLP poderá ser de até 80%. Já na segunda modalidade, o limite de financiamento será de 60%.

Além das medidas citadas, foi estipulado que o BNDES investirá também na avaliação da efetividade dos projetos que recebem apoio financeiro. Para isso, serão feitas análises temáticas e estratégicas para que a instituição possa aprimorar os serviços prestados.

Quais são as principais vantagens da nova política?

Todas essas medidas nas políticas operacionais afetam as micro, pequenas e médias empresas. De forma geral, os novos limites são incentivos para que esses negócios consigam se reestruturar e até mesmo renovar seus equipamentos para se tornarem mais competitivos no mercado.

Hoje os prazos para pagamentos ao banco podem ser de até 10 anos, com carência de 2 anos. Ou seja, mesmo um pequeno negócio que esteja passando por um momento de desequilíbrio financeiro consegue aporte para reerguer as operações com um prazo mais interessante para devolver o empréstimo ao BNDES — solicitação que pode ser feita em qualquer instituição credenciada ao banco.

Ficou claro também que o órgão de apoio ao empreendedor definiu algumas categorias de empresas como prioritárias. Com isso, setores específicos considerados peças-chave para o desenvolvimento do país passaram a ter melhores condições para os financiamentos. A expectativa é que medidas como essa ajudem o Brasil a melhorar índices de infraestrutura, inovação e administração.

Quais são os setores mais beneficiados?

Os maiores beneficiários de todas essas mudanças são os gestores de micro, pequenas e médias empresas. Para os negócios de grande porte, não há grandes novidades, já que o BNDES estabeleceu que é preciso financiar projetos com grande potencial, e não empresas já consolidadas.

Adequando-se à Lei Geral da Micro e Pequena Empresa, a classificação das pequenas empresas no grupo em que fatura até R$ 4,8 milhões é uma das novidades mais importantes, justamente pelo fato de ampliar o acesso de determinados empreendimentos às linhas de crédito do banco.

Já para ser considerada de médio porte, as empresas precisam se enquadrar no limite de capital de até R$ 90 milhões — teto que era de R$ 3,6 milhões. A ampliação de condições de financiamento para um setor tão empreendedor, como é o das pequenas e médias empresas, é indispensável para alavancar a economia do país e diminuir as desigualdades sociais.

Quais são as prioridades do BNDES?

Os projetos considerados prioritários pelo BNDES terão acesso a até 80% de financiamento. Os principais segmentos que se enquadram nessa categoria são:

  • inovação;
  • meio ambiente;
  • saneamento;
  • energias renováveis;
  • mobilidade urbana;
  • saúde;
  • educação;
  • modernização da administração pública;
  • conectividade inclusiva;
  • produção de alimentos.

A instituição considera essas linhas mais importantes do que outras pelo potencial de desenvolvimento que podem agregar. Além do avanço econômico e social, elas também promovem a sustentabilidade — considerada uma das maiores preocupações mundiais neste momento.

Nesse sentido de promover alternativas ecologicamente sustentáveis, são vetados empréstimos a projetos relacionados a usinas termelétricas a carvão, por exemplo. Para projetos ligados ao transporte de petróleo, aquisição de ônibus e caminhões fabricados no Brasil e telecomunicações, os incentivos de crédito passaram de 30% para 60%.

Quais são as novas taxas de juros?

Uma das informações mais importantes divulgadas com a nova política do BNDES, que flexibilizou as regras para as micro, pequenas e médias empresas, diz respeito à taxa de juros. O referencial, que era chamado de Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP), agora é apenas Taxa de Longo Prazo (TLP).

Na prática, a nova taxa passou a vigorar a partir de janeiro de 2018 e a principal diferença, quando comparada à anterior, é que ela não será alterada a cada três meses, tendo como base a meta de inflação do ano. A TLP também terá seu índice reajustado gradualmente, para se equiparar aos juros do mercado, mas isso será feito em um prazo de cinco de anos.

Portanto, se antes os juros eram regulados pelo governo federal, agora as taxas serão regidas pelo mercado, estando menos sujeitas a decisões políticas. Com essa medida, o BNDES visa garantir juros mais próximos ao que é praticado pelo setor financeiro, garantindo o pagamento de menos subsídios por parte do governo.

E você, já conhecia essas informações sobre as mudanças na política de financiamento do BNDES? Aproveite também para conferir nosso artigo sobre como você pode conseguir crédito desse órgão para sua empresa!

Powered by Rock Convert
Postagens Recentes

Deixe um Comentário

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

Tire 4 dúvidas sobre o score de crédito!cooperativa de crédito na era digital
%d blogueiros gostam disto: