Guia completo sobre o financiamento do BNDES

 em BNDES

Um dos problemas para quem deseja empreender no Brasil é a falta de recursos para tocar o negócio. Conseguir um crédito em instituições privadas é simples, mas as taxas são altas e, sem planejamento, a empresa pode ter problemas para arcar com os seus compromissos. É nesse contexto que o BNDES tem participação fundamental na economia.

Esse banco público foi inaugurado com a função de injetar capital na economia por meio dos seus financiamentos. A grande diferença é que as condições são mais benéficas para o empresário, ou seja, os juros são menores e o dinheiro pode ser utilizado para expandir a atuação da empresa e gerar mais renda para o país.

Porém, como se trata de uma instituição ligada ao Governo Federal, existem regras mais rígidas para liberar o crédito. Respeitar a finalidade é uma delas, já que são necessários documentos que comprovam o uso do capital. Além disso, o banco tem mecanismos para garantir a transparência dessas negociações.

Tendo isso em vista, preparamos este guia com todas as informações sobre o financiamento no BNDES para você conhecer as regras e saber como solicitá-lo. Continue a leitura!

O que é BNDES?

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) foi criado em 1952, pelo Governo Federal, com o objetivo de incentivar o crescimento da economia brasileira. Sua função é promover investimentos para pessoas físicas e jurídicas que desejam modernizar ou expandir a sua atuação para encontrar novas oportunidades de negócio.

Essa empresa pública federal é vinculada ao Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, ou seja, as suas decisões são tomadas pelo governo e devem seguir a linha de inclusão social. Por isso, os apoios são direcionados para os negócios que têm potencial de geração de emprego e aumento da renda da população.

Uma das formas de atuação do BNDES é no apoio às micro, pequenas e médias empresas, que são aquelas que têm faturamento máximo de R$ 300 milhões ao ano. Com linhas de crédito especiais para esses empresários, o banco permite a compra de novos equipamentos, atualização das propriedades e capital de giro para o funcionamento.

Em momentos de crise, o BNDES tem participação fundamental na retomada do crescimento da economia. Sua ação é a de fomentar as inovações e as soluções criadas pelas empresas privadas para acabar com a recessão e torná-las competitivas novamente, com empréstimos mais baratos e condições de pagamento mais vantajosas.

Além do escritório principal, existem outras empresas que compõem o Sistema BNDES. São elas a Agência Especial de Financiamento Industrial (FINAME), que atua na compra de máquinas e equipamentos, e a BNDES Participações S.A. (BNDESPar), criada para desenvolver o mercado de capitais. Recentemente, o banco extinguiu os seus escritórios no exterior.

Como funciona o BNDES?

O BNDES tem a função de estimular o desenvolvimento do Brasil, com um auxílio financeiro aos empresários do país. O objetivo é incentivar o crescimento da economia, o que aumenta a geração de empregos e traz mais renda para a população, além de modernizar as empresas para atuarem na exportação.

Esse apoio é feito sob a forma de investimento e financiamento de projetos de longo prazo, com direcionamento para todos os segmentos da economia. Dessa forma, a instituição está presente em grandes obras de infraestrutura, que impactam diretamente a vida das pessoas, e em atividades como a agricultura, o comércio e a indústria.

Como o BNDES é uma empresa federal e não tem o lucro como foco principal, a sua concessão de crédito é mais vantajosa e tem prazos mais amigáveis para o empreendedor. Um dos seus campos de atuação é na disponibilização de recursos não reembolsáveis para projetos sociais, culturais e tecnológicos.

Ao contrário de modalidades como o empréstimo e o crédito pessoal, o financiamento público tem regras mais claras, ou seja, o empresário deve declarar a finalidade e utilizar o capital dessa forma para não perder o benefício. Entre as inúmeras possibilidades, estão a introdução de tecnologia, a expansão das atividades e a entrada no mercado exterior.

Além dessa atuação, o BNDES também pode se transformar em um investidor da empresa, por meio da compra de debêntures. Esses títulos funcionam de forma similar ao Tesouro Direto, ou seja, são papeis de dívida emitidos para levantar fundos e quitar as pendências. Nesse caso, o banco tem uma série de normas para entrar no negócio.

Em 2018, o Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social gastou R$ 69,3 bilhões com financiamentos, o que representou uma queda de 2% em relação a 2017. Apesar disso, o número de aprovações para novos créditos cresceu 27%, o que demonstra a sua importância para as inovações.

Quais são as principais linhas de crédito?

O BNDES tem linhas de crédito específicas para cada segmento do mercado. Separamos algumas delas para você conhecer!

BNDES Finame

Esse programa é voltado para a compra de máquinas e equipamentos. O item que o empresário deseja adquirir deve constar na lista dos bens financiáveis e a concessão do crédito é indireta, ou seja, é realizada por agentes financeiros cadastrados, e não pelo banco público.

Para as micro, pequenas e médias empresas, a taxa do BNDES é de 1,6% ao ano, com participação de até 80%. Nas grandes empresas, o valor sobre para 2%, com até 70% de participação. As taxas se mantêm nesse nível para caminhões, ônibus e outros itens de produção.

BNDES Finame Agrícola

Tem as mesmas características do último, só que a sua finalidade é fomentar o setor agropecuário do país, que é visto como estratégico pelo Governo Federal e é responsável por 20% do PIB. Em 2017, no primeiro ano de crescimento do PIB desde 2014, o agronegócio avançou 13%, o que sustentou os números positivos.

Esse programa é voltado para a compra de equipamentos e bens tecnológicos no campo. Pelas regras, a produção deve ser brasileira, nova e constar na lista dos itens permitidos pelo BNDES. O financiamento máximo varia entre 70% e 80% do valor total do bem e o prazo de pagamento chega a 90 meses.

BNDES Agro

O BNDES Agro é voltado para o aumento na capacidade de armazenagem de algumas atividades agroindustriais e para a compra de pulverizadores aéreos. Nesse sentido, é possível realizar obras para ganho de espaço, aquisição de softwares registrados na instituição e capital de giro (limite de 30% do financiamento).

Nessa modalidade, a taxa de juros do BNDES é de 1,45% ao ano e a do agente financeiro é negociada diretamente com o solicitante, mas não pode ultrapassar os 2,25% a.a. O prazo de pagamento é de 12 anos, o que inclui uma carência de 3 anos para começar a quitar as parcelas. A participação máxima é de 80% do valor do bem.

BNDES FGI

Nessa modalidade, o BNDES reduz as dificuldades das pequenas empresas de obtenção de acesso ao crédito nas instituições financeiras. Trata-se de um fundo que complementa as garantias necessárias, ou seja, o banco entra como um parceiro do empreendedor e complementa as exigências para a liberação do capital.

Com esse auxílio, aumentam as chances de a empresa conseguir o crédito. Além disso, como o BNDES tem credibilidade no mercado, é possível negociar condições melhores com as instituições, com menores exigências de entrada e taxas de juros mais acessíveis. O valor máximo desse benefício é de R$ 10 milhões.

BNDES Microcrédito

Esse programa é destinado para as pessoas físicas e jurídicas que empreendem em atividades de pequeno porte, com faturamento de até R$ 360 mil por ano. Os recursos são destinados para capital de giro e para o investimento na produção, como a compra de maquinários, materiais e reformas estruturais.

O interessado deve procurar uma instituição financeira cadastrada no BNDES para conseguir o crédito, já que o repasse é indireto. A taxa de juros é negociada no momento da solicitação, mas não pode passar dos 4% ao mês (considerando todos os encargos). O valor máximo permitido é R$ 20 mil e, em geral, não são necessárias garantias reais.

Quem pode solicitar linha de crédito?

O BNDES tem um perfil amplo de clientes e beneficiários. Não há limite de tamanho ou faturamento, ou seja, a instituição financia desde micro até grandes organizações, o que inclui entidades ou órgãos públicos de todas as esferas (Federal, Estadual, Municipal e do Distrito Federal).

Existem regras para conseguir o financiamento, o que inclui ser uma empresa sediada no Brasil e estar em dia com todas as obrigações, sejam elas fiscais, trabalhistas ou sociais. O benefício serve para pessoas jurídicas e pessoas físicas que exerçam uma atividade remunerada e registrada, como os caminhoneiros.

É importante destacar que a pessoa física ou jurídica que solicitar o crédito deve demonstrar as certidões negativas de todos os tributos federais, como o INSS, o FGTS e o Rais. Não há a obrigação de um tempo mínimo na atividade pelo BNDES, mas essa pode ser uma norma das instituições.

Os clientes do BNDES são classificados em função do porte, o que resulta em programas, condições e características diferentes de linhas de crédito. Os níveis são parecidos com os utilizados pelo Governo:

  • micro (até R$ 360 mil);
  • pequena (até R$ 4,8 milhões);
  • média (até R$ 300 milhões);
  • grande empresa (acima de R$ 300 milhões).

Nas linhas específicas, os solicitantes têm que realizar as atividades descritas. O crédito rural, por exemplo, é destinado para os agricultores garantirem a sua produção e introduzirem a tecnologia nas lavouras. Dentro dessa modalidade, há o crédito para custeio, investimento e comercialização — a finalidade varia no decorrer da safra.

Entre as normas que impedem a concessão do financiamento, estão a falta de capacidade de pagamento e a participação em regimes de recuperação. Empresas inadimplentes, que pediram falência e aquelas que têm problemas com a legislação ambiental também não conseguem o crédito do BNDES.

Também há setores em que o banco não pode financiar. Um exemplo é o comércio de armas e as atividades bancárias, com exceção das operações de microcrédito. Também são excluídas do financiamento as negociações de revenda de animais, compra de terrenos e construção de motéis e saunas.

O site da instituição oferece uma simulação de crédito em que o empresário pode escolher o seu campo de atuação e conhecer os financiamentos disponíveis. O sistema é separado pelas atividades, como infraestrutura, agropecuária e indústria, e lista as formas de apoio e como é possível fazer a solicitação.

Onde é possível utilizar linha de crédito?

O BNDES tem uma atuação ampla e financia, praticamente, todos os segmentos da economia brasileira. Dessa forma, o empresário deve procurar o programa que se enquadra na realidade do seu negócio e verificar o valor necessário para ajudá-lo nos seus objetivos.

Um ponto importante e que já foi citado é que o financiamento não é um empréstimo pessoal, ou seja, as regras são mais rígidas na sua utilização. Se o capital foi concedido para comprar um novo equipamento agrícola, por exemplo, é necessário comprovar essa aquisição, pois o desvio de finalidade acarreta a perda do benefício.

A exceção para essa regra é o microcrédito, que funciona como um empréstimo tradicional. A diferença é que, para conseguir esse capital, a empresa não pode faturar mais do que R$ 360 mil e o valor é limitado (R$ 20 mil). Quem fizer a solicitação utiliza o dinheiro como quiser, mas deve ter relação com os seus negócios.

O que é cartão BNDES?

O cartão BNDES foi um mecanismo criado para financiar investimentos em micro, pequenas ou médias empresas (aquelas que faturam até R$ 300 milhões) de uma forma mais simples. Ele já vem com um crédito pré-aprovado de até R$ 2 milhões e tem condições de pagamento atrativas, com um prazo de até 48 meses.

O empresário pode utilizar esse dinheiro para modernizar o seu negócio, com a compra de equipamentos e máquinas, ou para expandir a sua atuação. As transações são feitas pelo portal do cartão, o que aumenta a segurança e a simplicidade da operação. Já a emissão cabe às instituições financeiras cadastradas no BNDES.

Os Microempreendedores Individuais (MEI), que são aqueles que faturam até R$ 81 mil por ano, também podem solicitar o cartão. Os requisitos são ter a documentação em dia, ou seja, ter o CNPJ ativo e não ter pendências com a Justiça. O processo para a emissão é o mesmo das outras modalidades.

Além do cartão tradicional do BNDES, também existe o cartão agro, que é voltado exclusivamente para os produtores rurais que atuam no agronegócio. Essa modalidade é destinada às pessoas físicas com faturamento de até R$ 300 milhões anuais, residentes no Brasil e que estejam em dia com as obrigações fiscais.

Como funciona o cartão BNDES?

Depois da solicitação e da aprovação do cartão, o cliente tem o valor liberado pela instituição para gastar nos milhares de itens listados no site do BNDES. A taxa de juros dessas compras é fixada mensalmente e divulgada pelo site do programa. Em fevereiro de 2019, a tarifa era de 1,40% ao mês.

O sistema de crédito é rotativo e o cliente tem a liberação do valor assim que quitar as parcelas do financiamento. Vale destacar que essas mensalidades são iguais e variam entre 3 e 48 meses — isso é definido pela instituição que emitiu o cartão e informado ao cliente.

Para comprar com o cartão BNDES, o cliente deve entrar no site e consultar os produtos disponíveis. Se o item estiver liberado, basta clicar no botão e prosseguir com a operação. Já os produtos indisponíveis no momento devem ser negociados diretamente com o fornecedor, que também é responsável por concluir as transações.

É possível simular o valor das parcelas antes de comprar o produto pelo portal. Uma opção para quem tem pouco crédito aprovado ou não deseja adquirir o valor total dos itens pelo cartão é negociar a venda diretamente com o fornecedor, o que pode garantir vantagens para o cliente.

Para os fornecedores, a grande vantagem é que o dinheiro é liberado 30 dias após a compra, com a segurança de que o repasse será realizado. A venda é feita pelo portal do BNDES, com a inserção dos dados do comprador e a seleção dos produtos negociados. O dono do cartão recebe um e-mail de confirmação e o valor das parcelas.

Como fazer a solicitação do cartão?

O Governo Federal é a fonte dos recursos do financiamento, mas não é o responsável pela emissão do cartão. Cabe ao cliente escolher a instituição financeira que fará esse processo e dar entrada no processo pelo site do BNDES. Posteriormente, é necessário comparecer à agência para entregar os documentos solicitados.

Pelas normas do cartão BNDES, são os bancos que definem as regras de análise e aprovação do crédito. Eles também são responsáveis pela solicitação das garantias, definição do limite do financiamento e da cobrança das parcelas. O recomendado é que o cliente escolha uma instituição em que a sua empresa já tenha relações.

Caso o banco não aprove o pedido do cartão, o empresário tem a liberdade de repetir o processo e escolher outra instituição. Como as regras da concessão de crédito são diferentes em cada local, não existe uma alteração nas possibilidades, mas o ideal é reunir o maior número de documentos para maximizar as chances.

As instituições podem cobrar uma taxa para a emissão do cartão, conhecida como TAC (Taxa de Abertura de Crédito), mas ela não deve ultrapassar 2% do valor total do financiamento. Não há uma obrigatoriedade do BNDES para essa tarifa, então, é possível encontrar um banco em que o processo seja gratuito.

O cliente pode ter o cartão BNDES em mais de uma instituição. Essa é uma forma de aumentar o limite e somar os valores para realizar compras maiores. Porém, vale destacar que isso também resulta em tarifas mais altas, ou seja, é fundamental planejar bem o uso desse mecanismo para não criar problemas financeiros para a empresa.

O que você consegue comprar com o cartão?

Segundo o BNDES, mais de 270 mil itens estão disponíveis pelo cartão. A lista é extensa e bastante variada, já que vai desde computadores e móveis até motos e caminhões. Também são fornecidos serviços, como softwares de gestão do agronegócio, que auxiliam na contabilidade rural dos produtores.

Para encontrar um item específico, o portador do cartão deve entrar no site e selecionar a busca por produtos ou a busca por categoria, que filtra as opções por grupos. Pelo sistema, ele encontra as informações do fornecedor e o preço do produto desejado. O próximo passo é confirmar a compra e conhecer as condições de pagamento.

Quais são as vantagens do cartão BNDES?

A criação do cartão BNDES foi uma forma encontrada pela instituição de facilitar o processo de aprovação do crédito. Para os outros financiamentos, é necessário apresentar os documentos, as garantias e ter a resposta do processo. Nesse caso, no momento do cadastro, a instituição utiliza os dados do cliente para definir um valor que é liberado automaticamente.

Separamos as principais vantagens do cartão BNDES para os empresários brasileiros. Confira!

Taxa de juros atrativa

As taxas do cartão são as menores do mercado — elas são fixadas mensalmente e disponibilizadas no site. O cálculo é feito com base na Taxa de Longo Prazo (TLP) e também no grau de inadimplência das empresas, que é divulgado duas vezes por ano pelo Banco Central do Brasil.

Condições de pagamento facilitadas

Esse é mais um benefício de quem adere ao cartão, já que o prazo de pagamento pode chegar a 48 meses em algumas instituições. Esse é um ponto interessante para os empreendedores que controlam bem as suas finanças e conseguem utilizar o capital para ampliar os seus investimentos.

Contas em diferentes instituições

O BNDES apenas faz o intermédio da negociação, o que significa que ele não é responsável pelo processo de emissão e administração do cartão. A vantagem é que o cliente pode criar um cartão em todas as instituições financeiras cadastradas no sistema e acumular o limite disponível.

Agora que você sabe todas as informações sobre o financiamento do BNDES, está pronto para planejar o uso do crédito na sua empresa. Independentemente da atividade que exerça, a instituição tem uma linha sob medida para o seu negócio, o que permite investir na sua expansão e aumentar o seu faturamento. Aproveite as oportunidades!

Quer receber outros conteúdos especiais sobre financiamentos e o mercado do agronegócio? Assine a newsletter da SoftFocus e fique por dentro das nossas atualizações!

Powered by Rock Convert
Postagens Recentes
Mostrando 2 comentários
  • MARCO ANTONIO RIBEIRO

    E BEM COMPLEXO O SINTEMA BNDS PARA QUEM JA TEM UMA ESTRUTURA FORMADA , NO MEU CASO JA TENHO MINHA EMPRESA A MAIS CINCO ANOS E PELA DIFICULDADE NOS DIAS DE HOJE COM TODOS OS COMERCIO PARADOS PELO MENOS NO MEU SEGUIMENTO ESTOU EM ATRASO COM A FABRICA QUE REPRESENTO E SE NAO COLOCAR EM DIA MINHA DIVIDA FICA DIFICIL EU QUERER AINDA MAIS CREDITO PARA COMPRA POR ISSO ESTOU TENTANDO ATRAVES DO BNDS OU BANCO DO BRASIL NO QUAL TENHO UMA CONTA JURIDICA LEVANTAR ESTE EMPRESTIMO PARA DAR SEGUIMENTO NO MEU NEGOCIO ,PODEM ME ORIENTAR E AJUDAR OBRIGADO FICO NO AGUARDO DE UMA SOLUCAO

    • Redator Softfocus

      Olá MArco, indicamos você a procurar sua agência bancária e veja todos os serviços e produtos disponíveis para seu caso.

Deixe um Comentário

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

repasse de crédito do BNDES
%d blogueiros gostam disto: