Novas Tendências de Tecnologia no Agronegócio

 em Agronegócio

A busca por um maior volume de produção, sem ampliação da área e com menos perdas é um desafio constante para produtores e empresários rurais. Limitar os investimentos apenas a maquinário e a processos não é mais uma alternativa para uma produção verdadeiramente efetiva, com as novas tendências de tecnologia no agronegócio as inovações têm revolucionado o desenvolvimento do setor e se tornado indispensáveis.

A necessidade de inserir o agronegócio na realidade das transformações de nossa era faz com que as empresas de tecnologia desenvolvam cada vez mais soluções para o campo, as quais são potentes aliadas no cultivo de mais safras, na criação de mais animais em áreas menores, no controle de pragas e de doenças e na geração de dados que permitem tomadas de decisões rápidas e uma gestão mais eficiente do negócio.

Mesmo que pareça uma realidade distante para significativa parte dos produtores rurais, a verdade é que o agronegócio já não se sustenta mais apenas com a tradição e aqueles que apostam no uso de novas tecnologias estão tendo resultados melhores do que nunca.

Por essa razão, reunimos neste artigo as principais tendências tecnológicas para o agronegócio em 2020 e 2021 que vão ajudar você a entender como pode se beneficiar desses avanços.

Uma boa gestão é o primeiro passo para se pensar tecnologia no agronegócio

Não há dúvida ao se afirmar que qualquer negócio sem uma boa gestão e controle de gastos tende a fracassar. Contudo, segundo dados do Sebrae, cerca de 61% dos produtores rurais brasileiros que fazem o controle de despesas, receitas, custos e estoques ainda insistem nos ultrapassados registros manuais, em papel ou planilhas eletrônicas, o que resulta em um extenso e arriscado trabalho de análise de informações.

A digitalização dessas informações é a principal tendência não somente para o setor do agronegócio, mas para todos os setores da economia. Ao invés de horas de trabalho em frente a um computador ou a livros de registros, analisando planilhas e fazendo diversos cálculos, os quais são passíveis de erros, o mercado atual oferece uma diversificada gama de produtos e serviços que agilizam o trabalho de gestão e controle produzindo dados com alta precisão que facilitam a tomada de decisões.

É nesse contexto que se encontram as Ferramentas de Gestão e os serviços de Fintech que estão despontando gradativamente no mercado agro.

As Ferramentas de Gestão são programas de computador que ajudam a integrar as mais diversas informações da área rural otimizando processos e custos de produção. Esses programas são capazes de produzir informações que garantem maior previsibilidade de rendimentos, otimização de recursos, precificação, planejamento de safra e tantos outros que dinamizam toda a cadeia produtiva.

Já as Fintechs – do inglês, financial (financeiro) e technology (tecnologia) – são empresas que desenvolvem novas soluções financeiras baseadas totalmente no uso de tecnologia. Cada vez mais utilizadas por instituições financeiras e cooperativas, os serviços de Fintechs ajudam o produtor rural a ter mais agilidade em suas transações, solicitações de crédito e acionamento de seguros. Tudo é feito digitalmente e com menor burocracia.

Assim, com uma melhor gestão e com maior agilidade para solicitar crédito e realizar demais transações, passa-se a existir maior segurança na hora de decidir qual a forma de financiamento será adotada para realizar os investimentos necessários, qual cultivo ou criação deve ser feito, qual estratégia de comercialização deve ser desenvolvida e quais as tecnologias ligadas à produção devem ser empregadas.

Quais são as tecnologias do agronegócio adotadas na produção?

Investimentos na pesquisa agrícola, na extensão rural, em políticas públicas ligadas ao agronegócio, bem como a competência e o empreendedorismo dos produtores rurais nos últimos 50 anos transformaram o Brasil em um dos maiores exportadores de alimentos do mundo.

Isso nos mostra a importância que existe na relação pesquisa-Estado-produtor:

Na pesquisa, as tecnologias estão em constante aperfeiçoamento e resultam em inovações que superam problemas como o enfrentamento de pragas e de doenças, os manejos de solo e de animais, as intempéries das mudanças climáticas e tantos outros. 

O Estado, mesmo com suas insuficiências, aparece principalmente na função de suporte à produção, provendo garantias de renda, criando linhas de crédito e fornecendo assistências técnicas e de extensão rural, por exemplo. 

Já o produtor é quem se responsabiliza pelo empreendimento disso tudo, ele é quem se encontra no campo da ação, que enfrenta os mais diversos desafios para garantir uma produção eficiente.

Desse modo, saber utilizar essa relação é fundamental para garantir um agronegócio forte e com condições de competitividade. Nesse ponto, usufruir dos avanços tecnológicos aliados à produção rural é uma necessidade evidente para as demandas atuais.

São algumas das principais tendências em inovações para o setor:

Sensores

Com as mais diversas funcionalidades, os sensores são grandes aliados na agricultura de precisão, auxiliando na redução de impactos ambientais e no aumento da produtividade. 

Esses dispositivos possuem a capacidade de detectar alterações nas culturas e prover informações acerca do solo, da plantação e de outros elementos essenciais. Os registros obtidos ajudam na previsibilidade de problemas que podem afetar a produção, além de auxiliarem o planejamento agrícola com medições de solo e representações topográficas.

Drones

O mercado de drones no Brasil deve crescer muito em 2021 e 2022, chegando a colocar o país no ranking dos 3 maiores mercados do dispositivo no mundo. Esses pequenos veículos aéreos sem tripulação possuem múltiplas aplicações, como: 

– Medição da área e mapeamento 3D, o que auxilia na demarcação do plantio; 

– Análise e acompanhamento da safra, através da captação de imagens que permitem verificar a coloração das plantas apontando a presença de pragas e doenças, falhas no plantio e o desenvolvimento da plantação;

– Verificação de áreas com excesso ou deficiência de irrigação através de câmeras com lentes térmicas;

– Pulverização em áreas de difícil acesso, o que garante maior aproveitamento da área e menor risco aos trabalhadores; 

– Contagem de rebanho e busca por animais perdidos; além de outras aplicações.

Inteligência Artificial (IA)

Ainda com um longo caminho a ser percorrido, mas já dispondo de relevantes soluções, a Inteligência Artificial é apontada como a principal tendência de tecnologia aplicada à produção rural para os próximos anos.

Hoje já é possível cruzar as informações registradas por sensores, drones, estações meteorológicas e outros dispositivos para identificar problemas na lavoura e indicar necessidades de manejos específicos para cada talhão. Além disso, algumas tomadas de decisões já podem ser feitas automaticamente usando apenas a análise de dados e padrões por Inteligência Artificial ou podem ser feitas remotamente pelo produtor em tempo real.

Mas em um futuro não distante, a Inteligência Artificial poderá ampliar os seus recursos podendo automatizar grande parte dos processos através de redes neurais que serão alimentadas por uma série de sensores autônomos. Assim, as informações tendem a ficar cada vez mais precisas e as produções cada vez mais eficientes.

Pesquisa citada: https://www.sebrae.com.br/Sebrae/Portal%20Sebrae/Anexos/Pesquisa%20SEBRAE%20-%20TIC%20no%20Agro.pdf

Postagens Recomendadas

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

Crédito Ruralautomação bancária
%d blogueiros gostam disto: