O que é o open banking? Conheça os seus 3 principais impactos!

 em Dicas

O domínio do Open Banking é uma questão de tempo. Antes de apresentarmos esse conceito, porém, vale falar do oposto dele: o tradicional modelo de funcionamento das instituições financeiras. Em resumo, o controle total sobre todos os serviços, incluindo o desenvolvimento das tecnologias, a exemplo dos aplicativos móveis.

Tudo isso gera um elevado custo operacional, pois é preciso investir em uma série de rotinas, além da manutenção das equipes especializadas. O Open Banking funciona de modo totalmente diferente, permitindo que os bancos foquem nos serviços primários, liberando a criação de aplicativos e novas possibilidades para empresas terceiras.

Dito isso, apresentamos a seguir, no texto de hoje, os três principais impactos do Open Banking. Quer sabre mais a respeito do tema? Então confira o conteúdo na íntegra!

1. Uniformidade de procedimentos

Começamos, então, pela uniformidade dos procedimentos. Nesse sentido, o ponto a destacar é que a iniciativa do Open Banking possibilita uma união entre as instituições bancárias e as fintechs, que estão mudando a relação das pessoas com o dinheiro.

Vale ressaltar que as fintechs (startups de serviços financeiros) são as responsáveis por trazer as inovações para o mercado. Para ilustrar essa uniformidade, pegue como exemplo os softwares/aplicativos para a gestão de finanças, que já vêm oportunizando a integração dos seus sistemas com os dados bancários dos usuários.

A questão a salientar, diante disso, é que os usuários poderão integrar todas as suas contas em um único aplicativo, não importa o banco. Assim, conseguirão analisar as taxas de juros, as movimentações e, dependendo da solução utilizada, até mesmo solicitar empréstimos.

2. Maior engajamento dos clientes

Outro impacto do Open Banking consiste no maior engajamento dos clientes. Nesse caso, as instituições financeiras terão nos seus parceiros (fintechs) a possibilidade de aumentar a venda dos “produtos” (empréstimos e investimentos) por meio das inovações proporcionadas pelas aplicações terceiras.

Sob um olhar geral, a comunidade de desenvolvedores que inclui esse ecossistema estará livre para criar e oferecer serviços capazes de otimizar a experiência do usuário, contribuindo, assim, para o engajamento com o mundo das finanças.

3. Aumento da competição entre as instituições financeiras

Não menos relevante é o aumento da competição entre as instituições financeiras. Para o cliente, esse figura como o benefício mais significativo que o Open Banking promove. Afinal de contas, essa competitividade acirrada no ramo bancário tende a resultar em serviços cada vez melhores.

De acordo com David Cortada, vice-presidente de Serviços Financeiros da Capgemini, o Open Banking fará com que as fintechs (novamente elas) abram novas frentes, buscando uma colaboração simbiótica com as organizações de serviços financeiros tradicionais.

Enfim, conforme ressaltamos no início do artigo, a adoção do Open Banking por parte dos bancos consiste em apenas uma questão de tempo. E a partir do momento em que for adotado, tudo leva a crer que esse modelo se transformará em algo irreversível, permanecendo em voga por um longo período.

E aí, o que achou do conteúdo de hoje? Gostou? Então não deixe de dar uma conferida em nossos materiais sobre o crédito rural!

Postagens Recentes

Deixe um Comentário

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

automação bancária
%d blogueiros gostam disto: